quinta-feira, 26 de maio de 2011

  Álvares de Azevedo : Pálida à Luz

Pálida à luz da lâmpada sombria,
Sobre o leito de flores reclinada,
Como a lua por noite embalsamada,
Entre as nuvens do amor ela dormia!

Era a virgem do mar, na escuma fria
Pela maré das águas embalada!
Era um anjo entre nuvens d'alvorada
Que em sonhos se banhava e se esquecia!

Era mais bela! o seio palpitando
Negros olhos as pálpebras abrindo
Formas nuas no leito resvalando

Não te rias de mim, meu anjo lindo!
Por ti - as noites eu velei chorando,
Por ti - nos sonhos morrerei sorrindo!

segunda-feira, 23 de maio de 2011


Espero que o meu calor ofereça lhe a maior das satisfações, que suas caricias sejam gradativamente constantes com o passar do tempo, e que meu amor lhe traga toda felicidade desse mundo!

domingo, 22 de maio de 2011


Não quero mais nada além da minha felicidade construída a partir de um simples sentimento que me faz bem...Só quero o amor que me foi dado, e o carinho que me foi concedido através de você!
Te amo!

sábado, 7 de maio de 2011

"Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata"
(Carlos Drummond de Andrade)

sexta-feira, 6 de maio de 2011

quinta-feira, 5 de maio de 2011

As vezes Deus nos da cada susto, que eu tenho certeza que é por uma boa causa.